sexta-feira, 26 de Fevereiro de 2021  16:39
PESQUISAR 
LÍNGUA  

Carnaval

My-Shop Prescrição eletrónica (PEM), Meios Complementares de Diagnóstico e Terapêutica (MCDT), Gestão de Clínicas Inovasis

Inovanet


RECEITA SUGESTÃO

Azeitonas Marinadas

Azeitonas Marinadas

Pique o alho e a salsa finamente (muito mesmo).

Lave as azeitonas e misture-lhes a salsa e os alhos. Tempere ...
» ver mais receitas


NOTÍCIAS

imprimir resumo
23-02-2021

Autárquicas 2021: Hugo Lacerda responsabiliza Sérgio Lopes pela ‘nega’ a João Campolargo. "Ambição pessoal não se deveria ter sobreposto aos interesses do PS".



O candidato derrotado às eleições na concelhia de Ílhavo do PS e que defendia a candidatura de João Campolargo à Câmara de Ílhavo, em 2021, em nome do partido, responsabiliza Sérgio Lopes pelo afastamento do autarca de São Salvador.

Hugo Lacerda diz que o Partido perde a oportunidade histórica de discutir a vitória nas autárquicas e que pode estar a caminho de uma derrota histórica.

Numa carta enviada aos militantes socialistas que apoiaram a sua candidatura à concelhia, Lacerda relembrou todo o processo para a concelhia, há pouco mais de um ano, em que avisava para um desfecho que agora se confirma.

Hugo Lacerda lembra que alertou para a necessidade de serem construídas pontes entre as diferentes sensibilidade num partido fraturado.

“A atual liderança não teve a capacidade de aceitar uma visão divergente, de congregar e de unir um partido num projeto comum e, por força disso, muitos dos nossos militantes vão paulatinamente abandonando esta luta, desiludidos, pela autocracia existente”.

Responsabiliza diretamente Sérgio Lopes pelos resultados eleitorais e admite custos elevados pela opção tomada.

“Se ocorrer o oposto, ou seja, uma derrota estrondosa, essa responsabilidade é única e exclusivamente do atual Presidente da Concelhia, Sérgio Lopes, por ter perdido a oportunidade de ter os melhores e mais competentes – sem Egos –, a sufrágio, inviabilizando uma oportunidade única. Por ter colocado a sua ambição e a sua falta de descomprometimento eleitoral em detrimento dos interesses do PS de Ílhavo”.

A reunião que aprovou os cabeças de lista ocorreu no dia 10 de Fevereiro e depois de conhecida a recandidatura de Eduardo Conde, Hugo Lacerda dirigiu aos seus apoiantes uma carta em que diz abertamente que os 45% de votos expressos há um ano na sua lista foram ignorados.

“Na principal eleição - Câmara Municipal de Ílhavo -, o candidato escolhido não foi - como o previ -, o João Campolargo, nome que vos apresentei ser o único candidato com condições de disputar a vitória. Apesar daquele não ser militante é unânime, presentemente, ser este o único elemento, dentro do universo atual do PS de Ílhavo, com maior capacidade autárquica e eleitoral”.

Hugo Lacerda acredita que a falta de entendimento responsabiliza o presidente da concelhia acusado de querer um lugar na equipa de vereadores.

“Sendo legítimas as ambições políticas do atual líder concelhio, contrárias às minhas na qual em momento oportuno vos comuniquei não ter nem a ambição, nem o desejo de vir a ser o principal protagonista destas eleições, a ambição pessoal não se deveria ter sobreposto ao interesse do Partido”.

No momento em que se encontra liberto de qualquer compromisso para 2021, Hugo Lacerda entende que o futuro político de Campolargo está em aberto e com consequências que podem levar o independente a mudar de vida, a assumir uma candidatura independente ou até mesmo a representar outro partido.

“Como se costuma dizer na gíria futebolística, o PS não renovou a tempo, nem fez os esforços necessários na construção de uma solução, através de um um diálogo profícuo com o João Campolargo e, hoje, o nosso João, é um «jogador livre»!”.

Crítico da gestão de Sérgio Lopes, Hugo Lacerda vai mais longe e diz que a tentativa do dirigente de colocar como cabeça de lista Rafael Vaz antes de existir um desfecho nas negociações com Campolargo encerra falta de verticalidade.


ACESSO

» Webmail
» Definir como página inicial

Publicidade

TEMPO EM AVEIRO


Inovanet
INOVAgest ®