segunda-feira, 12 de Novembro de 2018  17:58
PESQUISAR 
LÍNGUA  

Portal D'Aveiro

Inovasis Prescrição eletrónica (PEM), Meios Complementares de Diagnóstico e Terapêutica (MCDT), Gestão de Clínicas Publicidade

Inovanet


RECEITA SUGESTÃO

Sapateira Recheada I

Sapateira Recheada I

Separe as pernas e as patas da carapaça. Abra a carapaça da sapateira e retire-lhe as partes não comestíveis (partes ...
» ver mais receitas


NOTÍCIAS

imprimir resumo
14-09-2018

Quercus declara apoio a projeto do Orçamento Participativo Portugal.



A Quercus lança apelo à participação dos cidadãos nos projetos do Orçamento Participativo Portugal.

As pessoas, maiores de 18 anos, decidem como investir 5 milhões de euros, que é o orçamento do OPP, a distribuir de igual forma por projetos regionais e nacionais, por diferentes regiões de Portugal.

Cada cidadão dispõe de dois votos, um para o melhor projeto regional e um para aquele que considere ser o mais importante projeto nacional. Este ano, em termos nacionais, foram apresentados 18 projetos na área do ambiente e 22 na área da agricultura e florestas.

Na região de Aveiro, um dos projetos regionais aosta na aquisição de uma máquina para trabalhar em área florestal.

É proposto por Ana Matias, ex-comandante dos Bombeiros Voluntários de Anadia e responsável da Proteção Civil de Coimbra; Rosa Pinho, bióloga, investigadora no Departamento de Biologia e curadora do Herbário da Universidade de Aveiro; Luís Sarabando, engenheiro florestal e coordenador da Associação Florestal do Baixo Vouga e Paulo Domingues, membro de várias associações da área do ambiente e responsável pelo Projeto Cabeço Santo.

Aposta na aquisição de um equipamento que não existe ainda em Portugal, uma máquina complexa que vai melhorar a capacidade de intervenção nas várias ações de recuperação da floresta autóctone que decorrem desde a Serra da Freita à Serra do Bussaco.

“São ações de recuperação que visam não só a salvaguarda de ecossistemas ameaçados por inúmeras razões, mas também a existência de manchas florestais mais resistentes aos fogos e que sirvam de barreiras naturais vivas ao seu avanço descontrolado”, refere a Quercus.

A Quercus admite que a questão dos incêndios pesa nesta valorização. “Dizer mal e criticar as políticas é fácil. Mas neste caso ainda é mais fácil fazer algo para que os trágicos fogos de 2017 não se repitam. Basta agarrar já no seu telemóvel e votar. O ambiente agradece”.

 


ACESSO

» Webmail
» Definir como página inicial

Publicidade

TEMPO EM AVEIRO


Inovanet
INOVAgest ®